Buscar

Terapia gênica para Doença de Fabry: um sonho abandonado

Desde o início dos anos 2000, pessoas que vivem com doença de Fabry em todo o mundo tinham acesso a uma terapia de reposição enzimática (TRE) que requer transfusões quinzenais a um custo considerável para governos, indivíduos e instituições (Alegra et al., 2012). A TRE é administrada por infusão intravenosa (Alegra et al., 2012). Esses tratamentos geralmente são acompanhados por medicamentos adicionais, como anti-histamínicos antes da infusão para diminuir a chance de reações alérgicas relacionadas a ela (Alegra et al., 2012).


As TRE demonstraram ter um impacto considerável na densidade das fibras nervosas, na dor neuropática, bem como na redução do acúmulo de GL-3 no coração, nos rins e na pele e, mais importante, na qualidade de vida dos pacientes (Alegra et al., 2012). No entanto, elas também representam fardo significativo para os pacientes e suas famílias devido à necessidade de tratamentos regulares ao longo da vida.


Em 2020, para alegria das pessoas que vivem com doença de Fabry, pesquisadores no Canadá anunciaram que haviam usado com sucesso a terapia gênica em modelos animais da doença visando aumentar o nível de alfa-galactosidase A (Fabry Disease News, 2020). A alfa-galactosidase A atua para quebrar uma substância gordurosa chamada GL-3 e, portanto, reduz problemas nos rins, coração, pele, cérebro, nervos e trato intestinal (Fabry Disease News, 2020).


Em tese, a terapia gênica permitiria que os pacientes de Fabry recebessem um único tratamento que seria mais eficaz e liberaria os pacientes do compromisso quinzenal com TRE (Khan et al., 2021). Em 2021, havia um paciente que estava a quase três anos sem receber TRE e estava melhorando de forma notável, e nenhuma preocupação séria de segurança fora identificada nos primeiros estudo-piloto (Khan et al., 2021).


Este tratamento, que foi desenvolvido inicialmente em um ambiente público no Canadá, logo foi vendido para a Avrobio. Trata-se de uma empresa de biotecnologia de estágio clínico especializada no desenvolvimento de terapias gênicas de dose única e programas tanto para resistir como para reverter (a)os impactos de muitas doenças raras (Bloomberg, 2022).


Atualmente, ela está desenvolvendo terapias gênicas para a doença de Gaucher, cistinose e doença de Pompe (Bloomberg, 2022). No entanto, há cerca de um mês, a Avrobio anunciou que estava retirando a prioridade do programa de doença de Fabry em decorrência de várias considerações.


A empresa indicou que esta decisão foi tomada devido a “um mercado e ambiente regulatório cada vez mais desafiadores para a doença de Fabry” (Avrobio, 2022). O recrutamento de pacientes para este ensaio clínico parou e a empresa se comprometeu a continuar o monitoramento de pacientes previamente dosados ​​por 15 anos, conforme exigido pelos órgãos reguladores (Avrobio, 2022).


Este anúncio trouxe grande decepção junto à comunidade de Fabry, com muitos pacientes se sentindo abandonados e outros sentindo como se tivessem perdido a esperança de um tratamento alternativo para seu distúrbio de armazenamento lisossomal. Outros declararam reservadamente que se perguntam se o desfecho de tal decisão poderiam ter sido diferentes, se o desenvolvimento dessa terapia gênica tivesse se mantido no setor público.


Nossa esperança é de que, estudando a Inovação Social Farmacêutica (SPIN) (e através da compreensão e desenvolvimento de pipelines de desenvolvimento alternativo e do uso de parcerias público-privadas), considerações de rentabilidade financeira não estejam em primeiro plano na definição de tratamentos que os pacientes precisam receber.


Em vez disso, por meio do fortalecimento da inovação social farmacêutica, esperamos que a colaboração internacional se capacite para promover um ambiente favorável para o desenvolvimento de medicamentos visando suprir necessidades médicas não-atendidas de pessoas que vivem com doenças raras em todo o mundo.


 

Referências

Alegra, T., Vairo, F., de Souza, M. V., Krug, B. C., & Schwartz, I. V.D. (2012). Enzyme replacement therapy for Fabry disease: A systematic review and meta-analysis. Genetics and Molecular Biology, 35(4), 947-954. 10.1590/s1415-47572012000600009


Avrobio. (2022, January 4). AVROBIO Reprioritizes Pipeline Programs. Investor Relations : AVROBIO. Acesso em 18.02.22, disponível em https://investors.avrobio.com/news-releases/news-release-details/avrobio-reprioritizes-pipeline-programs


Bloomberg. (2022, 2 17). Avrobio Inc - Company Profile and News. Bloomberg. Acesso em 18.02.22 , disponível em https://www.bloomberg.com/profile/company/AVRO:US


Fabry Disease News. (2020, December 27). Gene Therapy for Fabry Disease – Fabry Disease News. Fabry Disease News. Acesso em 18.02.22, disponível em https://fabrydiseasenews.com/gene-therapy-for-fabry-disease/


Khan, A., Barber, D. L., Huang, J., Rupar, C. A., Rip, J. W., Auray-Blais, C., Boutin, M., O'Hoski, P., Gargulak, K., McKillop, W. M., Fraser, F., Wasim, S., LeMoine, K., Jelinski, S., Chaudry, A., Prokopishyn, N., Morel, C., Couban, S., Duggan, P. R., … Medin, J. A. (2021). Lentivirus-mediated gene therapy for Fabry disease. Nature Communications, 12(1178), 1-9. 10.1038/s41467-021-21371-5


26 visualizações0 comentário